Fale em público como os grandes oradores

Se você chegou até aqui por se sentir receoso em falar em público e é daqueles que sempre encontra um jeito de “escapar” de situações onde tenha que expressar seu ponto de vista ou mesmo realizar uma apresentação. Fico feliz, pois espero poder auxiliar com algumas dicas simples e rápidas que poderão fazer uma grande diferença na sua carreira profissional e até mesmo na sua vida pessoal. Afinal, desenvoltura e habilidade para falar em público, certamente lhe ajudarão em muito, a explanar melhor suas ideias, apresentar aquele projeto importante, realizar uma venda e até mesmo se sentir seguro para lidar com situações mais embaraçosas.

Para você que não tem medo de encarar plateias e multidões, mas está buscando aprimorar algumas técnicas, continue. O que listo abaixo poderá lhe ajudar muito a refletir sobre o que ainda não está colocando em prática e também, sobre o como tem aplicado o que já sabe.

Em 2019 tive a oportunidade de assistir à uma palestra do ex-presidente americano, Barack Obama, em São Paulo, durante um grande evento de tecnologia. O Vtex Day. E além da emoção e entusiasmo de estar sentado na área VIP, em frente ao palco principal a poucos metros de distância de um dos mais importantes chefes de estado do planeta e da atualidade, fiquei ainda mais impressionado com a sua visão de mundo e a maneira sutil e elegante de colocá-la à disposição do público. Com grande naturalidade, sem o apoio de slides ou vídeos. E falando com todos como se estivéssemos em uma grande roda de amigos. E de lá para cá, tenho me lembrado, refletido e me inspirado muito em diversos pequenos detalhes que me dediquei a observar em sua fala, gestos e condução.

Fiz questão de ilustrar este artigo com a figura do Obama. Pois, reconheço nele muito do que admiro e busco praticar deliberadamente em minhas aulas, palestras e rodas de amigos. Afinal, não é apenas sobre o palco de um auditório, no tablado da sala de aula ou na frente das câmeras que devemos ser bons oradores. Mas sim, em todas as situações de nosso cotidiano.

Portanto, compilei e preparei 7 dicas de como agir com segurança para falar em público e realizar apresentações memoráveis. Nada revolucionário. Mas, que com um pouco de prática já lhe trará resultados visíveis e satisfatórios.

 

1 – Esteja preparado

Estar bem preparado é fundamental para falar com segurança. O nervosismo natural de uma fala em público já é desconfortável para muita gente. Se o juntarmos com o nervosismo de não dominar o assunto sobre o qual irá abordar, a probabilidade de dar aquele branco e “travar” na frente de todos, só aumenta de modo considerável. Costumo dizer que; “A segurança surge da preparação em ser o maior especialista no assunto.” Evidente que nem sempre isso é possível. Mas tendo isso em mente, você dedicará um tempo muito maior estudando o tema, conhecendo as principais referências e autoridades no assunto. Explorando as diferentes possibilidades e alternativas. Além de desenvolver uma compreensão muito mais profunda sobre o que leva as coisas serem como são e ter uma opinião crítica e própria sobre o fato delas deverem ser ou não como são. É preciso conhecer a fundo os mecanismo e regras que constituem seu objeto de estudo. Seja ela um conceito, um produto, um projeto, uma proposta de negócio ou mesmo um ideal.

Outro ponto importante a ser considerado sob esta preparação é o treinamento. Praticar e treinar a apresentação, permite revisar pontos de melhoria, ajustar o discurso, dimensionar o tempo necessário ou adequar-se ao disponível e preparar-se também para o inesperado. Como perguntas mais específicas de uma plateia ou o comportamento mais cético de um dos diretores da mesa de reunião.

Steve Jobs, um ícone da cultura pop que transformou suas apresentações e discursos em verdadeiros momentos históricos, como seu discurso aos formandos de Stanford em 2005 e na apresentação de lançamento do iPhone em 2007. Jobs tornou estes momentos eternizados em nossas memórias e gravados em milhares de vídeos após treinar e ensaiar incansavelmente nos dias anteriores de suas principais aparições e falas. Ele sabia o que queria provocar nas pessoas e tinha plena consciência de teria que ser impecável e inesquecível em cada fala destinada ao público. Seu propósito era fazer história em cada apresentação. Portanto, não se canse de praticar repetidamente.

 

2- Não decore e não leia

Por mais tentador que possa parecer decorar suas falas, frase por frase. Ou ainda apoiar-se exclusivamente sobre a leitura de textos em mãos ou na projeção de seus slides. NÃO FAÇA ISSO! Primeiramente em respeito ao seu público. As pessoas merecem lhe ter de corpo, mente e alma neste momento. E não um robô ou um zumbi como intérprete de um texto. Por mais bem escrito que esteja. E segundo, pelo fato de que você se tornará refém de seus instrumentos. Se algo falhar, aquele “branco” e o temido “travar” na frente de todos, pode ser inevitável.

Se você cumpriu a primeira dica e se preparou para o momento. Então encare a sua plateia de frente e permita-se inclusive adaptar-se a situações únicas de cada apresentação, como perguntas inusitadas e elementos do contexto do ambiente ou situação. Trate do assunto com naturalidade e demonstre seu domínio com sutileza. Isso deixará sua fala muito mais fluída e natural. O que eliminará eventuais nervosismos extras de preocupações de esquecer de alguma coisa ou de algum recurso falhar.

Acima de tudo, não se torne dependente das suas ferramentas. Lembre-se o show é seu. Não do projetor, dos slides, do teleprompter ou mesmo do texto impresso naquele horroroso papelzinho. Livre-se dele por sinal. Você é o protagonista neste momento e precisa dominar o tema com ou sem utensílios e artifícios.

 

3 – Tenha um bom roteiro

Um bom discurso nasce com uma boa história. Organize suas ideias. Simplifique a mensagem e elabore um plot (enredo) que seja envolvente e possa ser acompanhado com interesse. Construa sentido gradativamente no que está apresentando. Não tenha pressa em entregar a mensagem principal. Nem seja prolixo demais, a ponto de perder a atenção do público. Trabalhe equilibrando expectativas e entregas, perguntas e respostas. A técnica de storytelling aqui, é mais do que bem-vinda. Se faz essencial. Todos gostam de uma boa história. Você só precisa montar a trama da sua de maneira criativa e sedutora e organizar cada etapa em uma sequência encadeada. Não esqueça de fazer uma boa introdução. Nela, aponte alguns pontos chaves da história contextualize o cenário e os principais elementos. Faça algumas menções sobre como seria este cenário com e sem sua proposta. Porém, cuide com os Spoilers. Não entregue o ouro antes da hora. Vá soltando alguns “teasers” ao longo do caminho para ir cativando cada vez mais atenção.

Preste atenção aos pontos chaves onde devem acontecer as mudanças. Por exemplo, se você está descrevendo um cenário ruim, planeje como será a reviravolta para um cenário positivo após apresentar sua ideia, produto ou solução. Se está ilustrando o cenário perfeito ou ideal, lembre-se de desconstruí-lo com possíveis ameaças ou imprevistos que poderiam ser evitados com o seu produto, solução ou ideia. Independente de qual versão estiver utilizando, o objeto de sua apresentação se tornará um elemento de valor crítico no desenrolar da sua história.

 

4 – Conecte-se com seu público

Não importa se você está realizando uma apresentação para a diretoria da empresa, uma palestra para uma plateia de algumas centenas de pessoas, uma LIVE para milhares de pessoas pela Internet ou um grupo de desconhecidos em uma roda de conversa no coffee break de um evento. Você precisa estar determinado a se conectar com o seu público. Esta conexão lhe dará a atenção e estabelecerá a confiança dos ouvintes que você precisa para contar a sua história e convencê-los.

Se estiver falando para um grupo pequeno de pessoas, procure olhar nos olhos de cada um alternadamente. Isso lhe fará ser percebido como uma pessoa segura de si e passará a impressão de ser confiável. Se estiver falando para uma plateia maior e mais distante, procure interagir com algumas pessoas, fazendo-lhes perguntas ou pedindo para contribuírem com algum exemplo para ser trabalhado na apresentação. Isso lhe fará ser percebido como uma pessoa aberta, que está disposta a ouvir e considerar alternativas. E não apenas um orador de uma única verdade. Se estiver em uma transmissão ao vivo, faça os dois. Mantenha o olhar na câmera e faça breves perguntas ao seu público ou permita que eles possam trazer algum caso para servir de exemplo ou análise. Isso os fará se sentir parte da apresentação e cocriadores do seu conteúdo.

É importante estudar seu público com antecedência. Se possível conversar com algumas pessoas antes de sua fala, para melhor conhecê-las. Esta breve pesquisa, pode lhe trazer indícios de como seu público pensa ou reage a determinados assuntos. E pode usar isso de modo positivo ao longo de sua apresentação. Além de ter alguns rápidos e bons exemplos para personalizar ainda mais sua apresentação e estabelecer conexões mais fortes com seu público.

Outra forma interessante de estabelecer conexões é pela associação. Comente um pouco sobre você e mostre que assim como a plateia, você também possui dúvidas e dificuldades. Fale também sobre suas paixões. Assim como as pessoas percebem mentiras com certa facilidade, também tendem a se conectar às histórias e seus interlocutores quando percebem que existe paixão e dedicação verdadeira. Seja sincero. E as pessoas torcerão por você.

Estas técnicas lhe auxiliarão a conquistar o seu público. Acredite. Esta conexão fará com que sua fala seja aceita mais facilmente. E ao perceber isso, você se sentirá ainda mais confiante e sua apresentação fluirá mais naturalmente.

 

5 – Energia, Ênfase e Entusiasmo.

Realize sua apresentação com energia. Seja uma pessoa vibrante e utilize seu momento de fala para empolgar, motivar e encantar as pessoas. Manifeste seu entusiasmo pelo tema. Demonstre o quanto está envolvido, o quanto está comprometido e como o mundo não pode continuar existindo sem suas considerações. O entusiasmo é algo facilmente contagiante. Então deixe as pessoas se contagiarem com sua vibração.

E para auxiliar nisso, treine e trabalhe sua expressão corporal, os temas, exemplos e sátiras que utilizará. Mas principalmente sua entonação de forma modular para dar ênfase que palavras chaves e para as frases mais marcantes do seu discurso. Falas em sonoridade muito homogêneas provocam sono. Por mais interessante que seu assunto possa ser. Procure alternar diferentes tons de voz e enfatize sem medo, tudo o que as pessoas não devem esquecer.

Isso não significa falar aceleradamente e sem parar. A pausa pode ser uma grande ferramenta para contrastar com os picos de maiores entonações. O que potencializará ainda mais as ênfases presentes em seu discurso. Nelson Mandela era outro grande orador. E como tal, também sabia usar muito bem esta técnica em seus memoráveis discursos.

Nelson Mandela, Barack Obama, Martin Luther King Jr e Steve Jobs. Exemplos de grandes oradores.

6 – Seja convincente

Nelson Mandela, Barack Obama, Martin Luther King Jr. e Steve Jobs, assim como todos os grandes oradores, possuem uma grande característica evidente em suas falas. Todos eles são, ao seu modo, extremamente convincentes. E esta deve ser a essência do seu discurso como orador. Convencer o público do que está dizendo e conduzi-lo para um novo grau de consciência.

Certifique-se de que a mensagem foi transferida. Não tenha receio de ser redundante. Redundância é uma forma de reforçar a fixação da mensagem. Evite abusos, mas a utilize sem medo. Seja para exemplificar de formas diferentes o mesmo conceito, e assim facilitar a compreensão de quem escuta, assim como a repetição pura e direta de pontos chaves do discurso. Esta técnica de repetição é usada também por Obama, com evidente influência de Martin Luther King. Que a empregava com grande maestria por sinal.

Discursar de modo convincente não é encenar ou fingir. É demonstrar um senso de verdade no que está sendo dito. E uma das melhores formas de fazer isso, é trazer a fala, suas próprias experiências. Isto dará ao seu discurso um profundo sendo de verdade. Construa propriedade sobre o que está falando e transmita isso aos seus ouvintes. Você não precisa falar tudo o que sabe. Mas deve saber sobre tudo o que diz.

 

7 – Divirta-se!

Considere que; gostando ou não. Procurando os holofotes ou não. Sendo tímido ou extrovertido, estes momentos irão surgir. Seja com mais ou menos frequência. Portanto, encare com naturalidade e procure se divertir. Siga as dicas anteriores que listei e isto lhe proverá maior segurança. Identifique seus pontos fortes e os evidencie. Isso lhe dará ainda mais confiança. Se você gostar de falar em público, isso será mais fácil. Mas, mesmo se não gostar. Procure se divertir.

Divirta-se estudando o tema, preparando seu roteiro e estruturando seu conteúdo. Aprenda a ver todo o preparativo como uma forma nova de lazer e aprendizado. E acima de tudo. Divirta-se quando estiver de posse da palavra. Veja o lado positivo de poder guiar a imaginação das pessoas por onde quiser. Pratique, melhore sua performance e aprenda a gostar de estar sob a atenção de todos. Tenho certeza de que com o tempo você verá a prática de transferir conhecimentos e ideias além de inspirar pessoas algo muito prazeroso. Erros irão ocorrer. Falhas lhe deixarão em situações embaraçosas. E imprevistos surgirão. Mas saiba levar na esportiva e lide com os fatos com humor e desenvoltura. Isso sempre deixa tudo muito mais fácil. E certamente você ainda ganhará a plateia com sua segurança e irreverência.

Portanto, aprenda a aproveitar este momento como algo prazeroso e deixe sua alegria transparecer para o seu público. Isso geralmente é um elemento muito cativante. As pessoas percebem, gostam e se conectam com quem demonstra alegria e felicidade no que está fazendo. Então faça do pavoroso momento de tensão um grande show e curta toda a jornada.

Uma coisa é certa; mais cedo ou mais tarde, você estará em situações em que precisará falar em público. Por mais low profile que você procure ser. Isto é inevitável. Então, que seja algo a ser feito com consciência e técnica. E de preferência, que seja algo memorável para quem lhe ouvir falar.

Há diversas maneiras de começar conquistando a atenção da plateia. É possível começar pelo fim, olhar para o passado, projetar um futuro, fazer uma piada ou pedir que as pessoas façam algo, por exemplo. E ilustrar seu ponto de alguma maneira própria e autêntica, seja com uma história lúdica ou uma analogia curiosa, pode ser um caminho interessante para realizar uma boa primeira impressão e conquistar o público. Você pode ancorar conceitos de autoridades no assunto, autores e até mesmo estatísticas. Isto proverá uma credibilidade maior ao que você irá apresentar.

Procure trazer exemplos claros e vinculá-los à elementos do contexto do seu público. As pessoas associam melhor conceitos novos quando aplicados em seu contexto ou quando comparados ao que já conhecem. Tenha em mente, que uma ideia se torna inesquecível, quando faz parte de uma boa história contada de forma memorável e acrescida de emoções fortes.

Para Daniel Kahneman, autor do beste seller “Rápido e devagar: duas formas de pensar, e vencedor do prêmio Nobel de economia de 2002;

“O cérebro humano se lembra de apenas duas coisas sobre um evento: o ápice emocional, seja ele bom ou ruim, e o seu fim.” – Daniel Kahneman.

Portanto, crie um discurso forte no início e no fim. Com uma história envolvente no meio, para transmitir sua mensagem com clareza e planeje como provocar emoção marcantes no momento que apresentar o conceito central de sua apresentação e arquitete um grande desfecho para sua história com um final e tanto. De acordo com Kahneman, a duração da experiência ou a proporção de prazer e desprazer proporcionado pouco influenciam no resumo a ser memorizado pelas pessoas. Ou seja, mesmo que você tenha gaguejado muito, o som tenha falhado ou seus slides tenham falhados ao abri, pouco importa. O importante é que seu ápice emocional e o final da sua fala sejam realmente bons. Então, o resultado do resumo a ser memorizado, também será.

Como diz Brian Solis, um escritor e palestrante americano que sigo e recomendo;

“As pessoas não se lembram do que você disse, mas sim de como você as fez se sentir” – Brian Solis.

Brian é especialista em tecnologia disruptiva aplicada a negócios e foi identificado pela Forbes como “uma das mentes mais brilhantes e criativas do seu tempo”.

 

Escrito por Alexandre Conte.