Tudo o que você precisa saber para criar a cultura de inovação na sua empresa

Entrevista publicada originalmente no Portal GAZZ CONECTA da Gazeta do Povo em 24 de novembro de 2020, disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/gazz-conecta/acao-inovadora/como-criar-uma-cultura-inovadora-em-empresas/

 

Como criar e manter uma cultura de inovação dentro de uma empresa? É em torno desta grande questão que gira parte das perguntas feitas por empreendedores na terceira e última fase do projeto Ação Inovadora. A missão de esclarecer do que depende um ambiente propício à inovação e qual o papel dos líderes neste espaço, destacando a importância dos erros e das falhas neste processo, coube ao head de novos negócios e marketing da startup portuguesa Exago, Alexandre Conte, que também é gerente de marketing da Totvs Curitiba.

Mestre em Estratégias de Marketing e Comportamento do Consumidor pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e professor em instituições como PUCPR, Universidade Positivo, FAE Business School, ESIC Business & Marketing School e UniBrasil, Conte atua há mais de 20 anos no mercado de marketing e Internet, tendo passagem por escritórios de marketing e agências de comunicação, promoção e marketing digital.

Confira a seguir as dúvidas enviadas e as respostas fornecidas por Alexandre Conte:

 

Tenho dificuldade em engajar meus funcionários para trazerem novas ideias. Como fazer isso naturalmente, sem que seja um peso para eles?

Esta é uma dificuldade presente em muitas empresas, das grandes às pequenas. Aponto duas frentes para serem trabalhadas em paralelo: a primeira é criar uma cultura colaborativa, na qual os colaboradores possam ser estimulados, encorajados, reconhecidos e até mesmo remunerados por suas participações em programas de inovação e contribuições com novas ideias. A segunda é a de oferecer ferramentas, canais e condições para que os colaboradores possam interagir, se manifestar e contribuir com novas ideias de forma muito prática, simples e conveniente, sem que seja visto como um fardo oneroso. O melhor caminho, a meu ver, é criar um programa de incentivo à inovação e convidar representantes de diferentes áreas já na sua concepção, para que o programa seja percebido como uma construção de todos e não uma imposição da empresa. As pessoas precisam se sentir empoderadas e acreditar que as ideias selecionadas serão de fato implementadas. Muitos pensam que o esforço e dedicação em contribuir não vale a pena, porque as ideias não serão levadas até o fim. Portanto, é essencial oferecer um feedback a 100% dos participantes e dar máxima visibilidade às ideias aprovadas e implantadas, assim como o devido reconhecimento a seus autores.

Criar a cultura de inovação é uma dificuldade que enfrento na minha empresa. Como começar a criar essa cultura?

Os colaboradores precisam se sentir integrantes desta nova cultura. Criar comitês e grupos de discussão e debate sobre diferentes temas, e empoderá-los para a aprovação e implantação de soluções e inovações, por menores que sejam, irá contribuir para um sentimento de pertencimento e de empoderamento que tende a ser disseminado por todos. As instruções e todo o trabalho de conscientização geralmente levam tempo para causar efeito e não atingem todos da mesma forma. O exemplo e a participação são formas muito mais impactantes de promover a inovação com simplicidade e colaborativismo.

Qual é o papel dos líderes na tentativa de inovar?

A figura do líder é fundamental para promover a inovação dentro das organizações. Um líder é o responsável direto por um time de profissionais e deve servir de exemplo e de inspiração. Cabe ao líder estimular e desafiar os seus colaboradores para que eles sejam criativos e experimentem alternativas sem receio. Para que isso possa funcionar, é preciso definir áreas ou assuntos nos quais a gestão será mais tolerante a falhas. Criar rotinas de compartilhamento de aprendizados obtidos com os erros é a maneira mais estimulante de promover o instinto inovador na equipe, pois cada colaborador passa a perceber que não apenas ele comete falhas, mas que isto também ocorre com seus pares – e que o líder, ao invés de punir, promove um aprendizado coletivo com os erros, para que o time possa evoluir como uma unidade.

Como criar um ambiente propício para a inovação?

Minimizar e, se possível, eliminar a punição por falhas e a busca pelo único caminho correto. As pessoas precisam se sentir seguras para experimentarem alternativas, além de perceberem que não existe uma pressão da organização por manter um único jeito de fazer qualquer tarefa. Não é uma missão fácil, mas se torna muito mais amena quando as pessoas se sentem confortáveis em participar, experimentar e contribuir. Para que isso possa ocorrer, a empresa precisa estimular, valorizar e reconhecer as mudanças e os colaboradores que contribuem com ideias e melhorias. Isto fará com que as pessoas se identifiquem e validem suas percepções. Oferecer ferramentas, canais e melhores condições para que os colaboradores possam contribuir diariamente com grande conveniência e praticidade.

Quais fatores internos são os principais estímulos para inovar dentro de uma empresa tradicional?

Liderança, comunicação e reconhecimento. Liderança, pois é preciso que os gestores possam estimular diretamente os colaboradores e prover a segurança de que não haverá punição por falhas cometidas na tentativa de melhorias. Comunicação ativa, para que todos possam estar cientes dos programas de incentivos, das novas implantações adotadas e das mudanças realizadas, e principalmente, para que o reconhecimento possa ser difundido entre todos. Reconhecimento, tanto individual, em forma de agradecimento e/ou remuneração pelos feitos realizados pelos colaboradores que contribuíram com ideias inovadoras, quanto para todos os colaboradores, para que este reconhecimento possa ser ainda mais valioso ao indivíduo, para que possa servir de exemplo aos demais e para que um número maior de colaboradores se identifique, se sinta representado e se motive a contribuir também.

Equipes formadas por profissionais mais velhos conseguem inovar? Como?

É intuitivo pensar que quanto maior a idade dos profissionais, maior sua resistência a mudanças – o que muitas vezes se prova verdadeiro. Porém, inovar é uma prática muito mais ligada ao comportamento do que ao tempo de vida. Pessoas inovadoras em sua essência são aquelas que gostam de desbravar, de descobrir, de aprender coisas novas e de exercitar mudanças continuamente. Sabendo disso, a melhor forma de promover a inovação é proporcionar situações de aprendizados e criar mudanças com uma frequência crescente. O que no início se apresentará como resistência, pode se tornar um exercício prazeroso e, se tudo der certo, os próprios profissionais irão entrar em ressonância e começar a provocar suas mudanças ao longo do tempo. Assim, pensar e agir diferente deixa de ser algo estranho para ser algo comum em suas rotinas. Uma ideia para começar é estimular a rotatividade das posições de trabalho e criar exercícios em que os profissionais possam trocar de papel com seus pares. É algo simples, mas que pode ser muito produtivo e transformador ao longo do tempo.

No vídeo acima é possível visualizar uma forma inteligente de disseminar a cultura de colaboração de ideias para obtenção de melhorias contínuas para os produtos, processos e principais pontos de atrito e criticidade das organizações. Uma plataforma como esta pode revolucionar as rotinas dos colaboradores e organizar e qualificar o conhecimento coletivo já presente dentro das empresas. Para conhecer mais, acesse: exagobrasil.com.br

Entrevista concedida ao portal GAZZ Conecta da Gazeta do Povo e publicada em 24/11/2020.