Superconsumidores

Você certamente já ouviu a expressão Superconsumidores. Mas você sabe exatamente o que significa?

Um superconsumidor não é apenas um consumidor que realiza compras abundantes e generosas. Estes sem dúvidas são excelentes consumidores que todos queremos possuir em nossos CRMs, lojas e relações. Agora um superconsumidor é, sim um consumidor altamente ativo na relação de troca e que está disposto a pagar mais pelo produto ou serviço. Mas não se limita à isso. Estes são consumidores que sentem-se altamente conectados com suas marcas e se sentem bem consumindo e relacionando-se com elas. Portanto, é preciso perder a timidez e estabelecer uma conversa franca com eles.

Mas o primeiro passo é identificar quem são estes superconsumidores em seu CRM. Isso é importante. Pois do contrário, só perderemos tempo com consumidores medianos. Eles não são capazes de contribuir de forma significativa com o negócio, pois não possuem um grau de comprometimento avançado com a marca e com os produtos para de fato oferecer uma visão clara e objetiva capaz de guinar o seu comportamento.

Depois de identificar estes superconsumidores, é preciso perguntar-lhes da forma correta, o que seria preciso lhes entregar para que comprem duas vez o que estão acostumados a comprar e/ou para que eles possam pagar o dobro do preço original do produto, o que ou como este produto deveria se configurar.

Mas se pensarmos que temos 3 alternativas para elevar as vendas de um negócio;

  • Volume de compra por consumidor (aqui entendemos quantidade de unidades e também frequência de compra).
  • Preço unitário cobrado por produto.
  • Quantidade de Consumidores (Tamanho da demanda de mercado).

Então, como seria possível elevar a quantidade de consumidores dispostos a comprar o nosso produto?
Com a popularização e o emprego das plataformas de Inteligência Artificial para processar Big Data, é possível e relativamente simples identificar o momento e os principais fatores que transformam um não consumidor em consumidor da categoria e consequentemente como e quanto este se torna um superconsumidor. Então, basta replicar o modelo com os demais suspects e prospects para obter um resultado satisfatório dentro de um período programado.

Um excelente exemplo desta prática de identificação e replicação de modelos é realizada atualmente pela NETFLIX. Que analisa a jornada de seus usuários, desde o período de teste gratuito do sistema de streaming, acompanhando o momento em que passa a consumir diferentes conteúdos até o momento em que se torna um superconsumidor, com alta frequência de acessos e principalmente compreendendo o que é capaz de convertê-lo à se tornar um maratonista de uma série de ficção científica ou suspense policial. Uma vez que este modelo é estabelecido, a Netflix produz novos conteúdos com tramas que entreguem justamente o mesmo formato capaz de “converter” novos usuários em maratonistas.

Ficou intrigado se é capaz de fazer este mapeamento e as mudanças necessárias para duplicar as vendas do seu negócio?

Assista o vídeo abaixo e comece a colocar isto em prática e transforme o seu negócio.

Escrito por Alexandre Conte.