A Origem do Dia do Cliente no Brasil

SÉRIE: HISTÓRIA DO MARKETING

Dando início a uma nova séria de artigos aqui no Blog, vou reservar alguns posts para trazer e apresentar algumas curiosidades e acontecimentos que marcaram a história do marketing. E nada melhor e mais alinhado com o marketing para dar início à esta série, do que começarmos falando sobre clientes e consumidores. Sendo assim, neste primeiro artigo, vou contar como foi inspirada e criada a data comemorativa do Dia do Cliente no Brasil. Então, vamos lá!

No dia 15 de setembros é comemorado no Brasil o Dia do Cliente. Uma data criada para homenagear os clientes e estreitar as relações entre as marcas e seus clientes, reforçando o papel do comércio e dando um empurrãozinho nas vendas. Isso porque, nesta data as marcas agradecem pela fidelidade de seus clientes e aproveitam para lhe oferecerem promoções, descontos e condições especiais, com direito até a brindes e sorteios. Mas você deve estar se perguntando o porquê desta data e se é apenas isso, mesmo. Ou se existe algo a mais por trás disso tudo. Pois bem, vamos ao gênesis da questão para conferir sua concepção e desvendar sua mais profunda intensão.

Tudo começa com um discurso proferido pelo então presidente americano John F. Kennedy, no dia 15 de março de 1962. Este dia ficou marcado pela declaração de Kennedy ao Congresso americano, na qual enumerou e defendeu a importância de direitos essenciais dos consumidores, tais como; direito à segurança, direito de escolha, de ser ouvido e de acesso à informação. E isto alimentou debates sobre o tema, não apenas nos Estados Unidos, mas também em diversos outros países. Por isso, o dia 15 de março de 1962 passou a ser considerado um marco na defesa dos direitos dos consumidores. A ponto de ser escolhido como data comemorativa 21 anos depois, em 1983, quando os direitos dos consumidores foram comemorados primeira vez. Dois anos depois, em 1985, a Assembleia Gera das Noções Unidas (ONU) adotou os Direitos do Consumidor como Diretrizes das Nações Unidas. O que concedeu legitimidade, reconhecimento e popularidade internacional para ser celebrado no dia 15 de março o Dia Internacional do Consumidor.

“Consumidores, somos todos nós.” – John F. Kennedy

Em seu discurso, Kennedy salientou que todo consumidor possui direitos essenciais à segurança, informação, a escolha e de ser ouvido. Isto incentivou debates em diversos países, tornando-se um marco na defesa dos direitos dos consumidores. – 15 de março de 1962, John F. Kennedy, presidente dos EUA.

O seu impacto no Brasil criou um grande debate e muitas reinvindicações do que ficou conhecido como “Movimento de Defesa do Consumidor” que começou com a vigência da Lei Delegada nº4 de 1962 e se fortalecendo em 1976 com a criação do Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo. O que serviu de incentivo e modelo para a criação dos demais PROCONs do país, nos anos seguintes. E veio a culminar na criação do Código de Defesa do Consumidor (CDC), instituído em 11 de setembro de 1990, pela Lei nº 8.078. Entrando em vigor em 11 de março de 1991. Tendo o Código de Defesa do Consumidor como um de seus maiores avanços, o reconhecimento da vulnerabilidade de todo o consumidor no mercado de consumo. Além de promover e defender a igualdade, liberdade e boa-fé objetiva, a repressão eficiente dos abusos, visa atender as necessidades dos consumidores, o respeito à sua dignidade, saúde e segurança, a proteção dos seus interesses econômicos, bem como a transparência e harmonia das relações de consumo. Tornando-o uma das leis mais avançadas do mundo, não apenas pelo valor, clareza e finalidade de sua constituição, mas principalmente pelo fato de ter sido elaborado como produto da pressão de sua própria sociedade.

O Dia do Cliente, comemorado no dia 15 de setembro, por sua vez, surgiu mais de uma década depois, em 2003. Sendo criado no Rio Grande do Sul, pelo empresário João Carlos Rego, especialista em marketing e recursos humanos. Oficializado no mesmo ano no estado do RS, atualmente já foi aprovado em 14 estados brasileiros e 167 municípios. Embora seja uma data comemorativa que busque homenagear os clientes, como principal razão para que toda empresa venha existir. A data foi concebida também, como uma data diferenciada das já existentes no calendário promocional do mercado, que costumam atender a públicos específicos e/ou segmentados, para que pudesse englobar tanto pessoas físicas como jurídicas e contribuir assim, no fomento de maiores vendas por meio de promoções capazes de atrair os mais diversificados clientes.

E assim, 15 de setembro entrou para o calendário promocional do mercado brasileiro como uma data para criar campanhas, promover produtos, conceder descontos e alavancar vendas, entre o Dia dos Pais e o natal. Tendo em vista que a Black Friday, hoje uma data já importante e bem incorporada na cultura e comportamento dos brasileiros veio a ganhar força por aqui tempos depois. E que a data comemorativa do Dia das Crianças é restrita a um conjunto limitado e específico da indústria e do comércio. Somente em 2019, por uma iniciativa do governo federal, foi instituída a Semana do Brasil, uma campanha de estímulo e incentivo a promoções e descontos especiais, que veio para reforçar a agenda do mês de setembro.

No vídeo acima é facilmente perceptível o impacto de ações de reconhecimento que as marcas e empresas podem causar na percepção de valor e na sua relação direta com seus clientes. Muito mais do que descontos e mimos, a foco e essência deve estar na valorização do indivíduo, de sua preferência, relação e fidelidade.

Ironicamente, a criação de uma data que atendesse os interesses comerciais das empresas, foi inspirada por movimentos em defesa dos direitos dos consumidores e ao ser colocada em prática, vem oferecer justamente aos clientes e consumidores melhores condições de compra e ofertas mais atraentes. Ou seja, de uma forma ou outra, a premissa de que todo negócio deve estar centrado no cliente, se faz presente, verdadeira e imperativa. E então, que sejamos todos nós, homenageados neste dia. Afinal, como Kotler certa fez escreveu;

“Clientes são a única razão para empresas construírem fábricas, produzirem produtos, contratar mão de obra e fazer reuniões” – Philip Kotler.

 

Escrito por Alexandre Conte.